[Leitura da Semana] A Rainha Branca - Philippa Gregory

08:13

Amo romances históricos. Amo Inglaterra Medieval. Amo Philippa Gregory porque é uma autora que coloca as mulheres, tão negligenciadas pela História, como ponto central e até mesmo força motriz dos fatos.

Então resolvi que já estava mais do que na hora de ceder a um antigo desejo e ler toda a coleção 'Guerra dos Primos', que relata a ascensão da dinastia Tudor ao poder, começando por A Rainha Branca.




Irmãos e primos lutam entre si para conquistar o trono da Inglaterra neste fascinante relato da Guerra das Duas Rosas, o conflito que opôs a Casa de Lancaster, cujo símbolo é uma rosa vermelha, à Casa de York, representada pela rosa branca. 
Em meio à guerra, a viúva Elizabeth Woodville desperta a atenção do jovem rei Edward IV, e os dois se casam em segredo. 

Contrariando as expectativas do Ambicioso barão Warwick, que ambicionava casar seu recém-feito rei com a princesa da França, Edward atrai para si e para sua futura família novos conflitos e uma busca sangrenta pela manutenção (ou a retomada) do poder.

Rainha em um país instável, Elizabeth se vê enredada nas intrigas da corte, ao mesmo tempo em que luta pelo êxito de sua família e precisa enfrentar inimigos poderosos, como os irmãos do rei.


Eu, que já tinha assistido à série homônima, do Starz, comecei minha leitura com imagens formadas na mente e uma altíssima expectativa. Philippa Gregory não me decepcionou.

Pelo contrário, e como eu bem imaginava, a autora superou e muito o que eu já tinha visto, com uma narrativa sedutoracomo a deusa Melusina - a deusa das águas, que guardava as mulheres da família Woodville.

O primeiro encontro e o surgimento do amor entre Elizabeth e Edward é muito mais intenso no livro, assim como a espera angustiante da viúva quando o rei lhe dá as costas e diz que nunca mais voltará a vê-la (piti de macho, que não conseguiu o que queria kkkkk).

Eles são TÃO lindos juntos, que continuei imaginando os dois assim ^^

Outro ponto que no livro é BEEEEEM mais explicado (e eu acredito que nos próximos volumes - A Rainha Vermelha, A Senhora das Águas e A Filha do Fazedor de Reis) é a motivação de cada uma das mulheres importantes dessa trama:

 Elizabeth Woodville/ Rainha Branca; Margarida de Anjou e Margarida Tudor/Rainha Vermelha; Jacqueta Woodville e Anne Neville.

Elizabeth Woodville, Anne Neville e Margareth Tudor. Três mulheres muito diferentes, muito fortes e que, mesmo colocadas como peças secundárias, foram a força agindo por trás da História.
Eu não resisto aos livros que contam grandes Guerras ou acontecimentos importantes pela ótica feminina. Nem a histórias da realeza.

As intrigas da corte, os relacionamentos por interesse, o amor proibido, os planos maquiavélicos (pra não dizer mau caratismo purinho mesmo) de alguns personagens...

E falando nisso, eu tenho meus favoritos também entre as mulheres:

1. Jacqueta Rivers, mãe da Rainha Branca. É uma nobre Lancaster que se casa por amor com um homem de classe inferior e vive com a família longe da corte. Mas com ajuda de sua fé na ancestral Melusina (e umas bruxaria de leve kkkkk), consegue elevar todo o clã Woodville ao centro do reinado Yorkista, através do casamento de sua filha com o novo Rei;

2. Elizabeth Woodville. ÓBVIO. Amo essa rainha apaixonada, que vive um conto de fadas amoroso em meio à Guerra das Rosas. Sofro demais pela perda dos filhos e admiro a força dessa mulher!!
E considerando os retratos da época...ela devia ser realmente bonita.


3. Margareth Tudor. Puta merda! Que mulher! Ela não descansa, até ver o filho no trono, casado com  a princesa branca (Isabel de York, filha de Eduardo IV e Elizabeth). Ainda nesse primeiro volume ela é um personagem bem secundário. Mas promete!!!

Nesta imagem os personagens principais (da Direita para a Esquerda): Margareth Tudor, Jasper Tudor - que são mãe e tio do futuro Rei Henrique VII; George de York e Isabel Nevile; Richard Neville - o Barão Warwick. Anne Neville e Richard de York. Elizabeth Woodville e Edward IV, Jacqueta Rivers e Anthony Rivers- irmão e mãe da Rainha Branca.



Em resumo, se você gosta de um bom romance histórico, vai se A-PAI-XO-NAR aqui.

Outros Posts

1 comentários

  1. Elizabeth Woodville e Jacqueta me dão muito ódio. Eu passei A Rainha Branca inteirinho revirando os olhos de aborrecimento com a Elizabeth e tive uma ótima surpresa quando fui ler os outros livros. (elas são inocentes só no ponto de vista delas, leia os outros e entenda melhor.)

    ResponderExcluir

Receba as news do DPL por e-mail!

Buscar no Blog